segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

Viver


Nunca iremos entender
Podemos tentar compreender
Viver nessa redoma
Só nos traz a soma

A soma de um aprendizado
Fundido com nosso estado
Estado de espírito
Seria esse mais um rito?

Para que se inspirar
Se podemos decifrar
As leis da vida
Muitas vezes incompreendida

Brinque com o aquém
Vá muito mais com o além
Torne-se um só ser
Com tudo que rodeia o seu "ter"


Tudo torna se claro
Não é mais tão raro
E mais um dia vem
Proteger-se do mal Amém


                                   R Cavalcante

sexta-feira, 20 de janeiro de 2012

O Anjo e a Loba


Um menino anjo Dormia
tranquilamente no céu
Uma menina lobo corria
Na terra, na floresta, com um lindo véu

O garoto anjo acordou
Pois a garota lobo fugia
Ele logo se prontificou
A ajudá-la; pois a mesma merecia

Aquele véu era sagrado
E o anjo disso sabia
Então, do céu havia pulado
com bravura a defenderia

- Lobinha, não precisa mais temer
desses monstros vou te libertar
Eu não deveria me intrometer
Mas o monstro passado, não irá mais lhe atormentar

O anjo além de corajoso, Sabia o que fazer
A menina lobo alegre ficou
Sabe o que ele fez sorrindo ?
O passado,seu monstro, com uma linda oração espantou


                                                              R Cavalcante

quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

A Estrela

Essa estrela é especial
Ninguém pode entender
Ela tem um brilho fatal
Cegado você pode ser

A estrela nasce a cada mil anos
É Raro alguém dela falar
Poucos tem como plano
Ela tentar encontrar

Ontem ela apareceu
E rapidamente pude vê-la
Foi logo quando anoiteceu
E eu queria tê-la.

Mas isso é impossível
Por que mágica ela é
Ilumina de forma invisível
todo o humano que tem muita fé

Ontem Você pôde sentir
Algo estranho com seu corpo acontecer?
Comecei a sorrir
Ao seu encanto tive que me submeter

Mas logo ela apagou
E sua magia foi embora
Na raça humana poucos encantou
Pois ainda não é a hora.

Fim

No cair do fim
mais uma vez
Mil problemas de uma vez
Fugirei Sim

Quem quer gritar
Desesperadamente
Não consegue pensar
Morre desprezivelmente

Tudo tem começo
Meio
sem apreço
tem-se um devaneio

o Fim

Com o fim de duas vidas
fundidas em uma
tem-se feridas
separadas em nenhuma

não entenda...
...
não compreenda...
...
...Sinta....
                                R Cavalcante