sexta-feira, 14 de dezembro de 2012


De repente me bateu uma saudade de tudo. Saudade de momentos que eu nunca achei que sentiria saudade !
O agora está me sufocando.

quarta-feira, 21 de novembro de 2012

Folha em branco

Uma folha em branco era o que ele encontrava a sua frente. Milhões de sensações e emoções circulavam em sua mente.
Queria ser forte 
e foi
Queria ser fraco
e foi
Queria dançar
e dançou
Queria atuar
e atuou

Uma folha em branco, agora, não tão branca, rabiscos começavam a aparecer e aos poucos as palavras iam se formando naturalmente.
Queria correr
e correu
Queria gritar
e gritou
Queria chorar
e chorou
Queria amar
mas não amou

Uma folha quase em branco, as palavras começaram a aumentar, mas nada mudava, nada externava sua visão experiente.
Queria sorrir
fingiu
Queria dormir
dormiu
Queria mostrar
mostrou
Queria se isolar
e alguém o isolou.

Uma folha com alguns espaços brancos começava a sentir o peso daqueles pensamentos, por mais que ele falasse ou até mesmo gritasse, ninguém iria sentir melhor do que a folha (agora com alguns espaços brancos) o peso daqueles pensamentos entorpecentes.
Queria mais 
...
Queria menos
...
Queria tudo
...
Queria nada
...
                                                                                                           R Cavalcante

quinta-feira, 20 de setembro de 2012

Tempo...Tempo...Tempo

Corre o tempo
Corre a hora
Corre o ponteiro
sem demora

Sacode
Se isola
Se seca
Se enrola

Não dá
Não deu
não foi
Choveu

Tão pouco tempo
Tão apertado
Tão menos dormido
Tempo todo lotado

Aumenta a hora
Aumenta dia
Aumenta isso
Infinito compromisso


                                                                                                          R Cavalcante

quinta-feira, 30 de agosto de 2012

Travessia


Enfrentei o pântano da solidão
E não morri de desilusão
Fervi meu sangue até não aguentar
Para o pântano atravessar !

Não há retorno,
Pois nenhum adorno
apagará as marcas que ficaram
por todos que sem querer
tramaram

Perdoem esse novo homem
Que um dia tentou amar
Tentou e tentou
Sem pensar em se machucar




sábado, 11 de agosto de 2012

Necessidade

Sufoquei-me com as próprias mãos
Entrelacei meu eu na solidão
Arranquei o que chamam de coração

Decidi andar na contramão

Erradiquei de forma falsa os sentimentos
Entreguei as vontades aos ventos
Deturpei os vários sentidos dos lamentos

E isso gerou um aumento;

de

Desilusão mesclada com Satisfação.

Permito-me desejar mais uma vez
Querer o que sempre não quis
Me esconder do que sempre fugi
e parar de correr.

Não para me satisfazer, mas;

Talvez para parar de me temer.


                                   R CAVALCANTE

sábado, 4 de agosto de 2012

Senti meu coração bater mais uma vez
Sabe, foi tão gostoso;
Não sei como ele fez
Mas, me senti poderoso

Foi como a primeira vez
que você o desacelerou
desencadeou
desatou
desenfreou;

O reanimou.
                     R. Cavalcante

         

terça-feira, 31 de julho de 2012

Feliz aquele que se cobre nas asas da solidão e depois as usa para voar.
                                 
                                                                   R Cavalcante

segunda-feira, 30 de julho de 2012

Ciclos


Ciclo

Um dia a chuva para
A ausência de calor termina.
Um dia a doença se cura
Quando você menos imagina

A felicidade ofusca a tristeza
E a tristeza deixa a experiência
Mesmo que você tenha frieza
Nunca perderá sua transparência

De repente você cai outra vez
E a chuva retorna de forma diferente,
você volta a passar frio e sua alma adoece
Repentinamente.

A tristeza ofusca a felicidade
E a felicidade deixa deficiência
Mesmo que você tenha frieza
Nunca perderá sua transparência

Irônico ciclo que permeia nossa rotina
Irônica forma de aprender a viver
Irônica rotina viva
Eis que logo virá um novo amanhecer

                                 R Cavalcante

sábado, 28 de julho de 2012

Era contemporânea

Encontrei-me perdido
e a vida mostrou vários caminhos
Tornei-me um iludido
em busca de ilusórios carinhos


Ninguém é alguém
Alguém é ninguém
Ilusões ao aquém
É o  que todos tem


Não sei o que querem
nem o que pensam;

Só sei que me ferem


Ninguém é alguém
Alguém é ninguém
Ilusões ao aquém
É o  que todos tem


Ilusão propriamente dita
é o que estamos vivendo
Esse mundo agora imita
tudo que você está fazendo

Ninguém é alguém
Alguém é ninguém
Ilusões ao aquém
É o  que todos tem

                         R Cavalcante

quinta-feira, 19 de julho de 2012

Procura

 O que procuro, vai além de um olhar, de uma beleza, de pensamentos...
O que procuro seria algo que fizesse da minha mente algo desnorteado, sem rumo.
Eu queria explicar com palavras o que procuro, mas nem meus sentimentos conseguem decifrar isso.
Procuro mais que um amor ou um alguém.
Procuro algo em alguém que nunca encontrei e talvez tenha deixado passar pessoas maravilhosas por causa dessa busca incessante.
Procuro por algo que talvez nunca encontrarei, mas mesmo assim, não deixarei de procurar.

domingo, 15 de julho de 2012

Rumos

Um dia a tristeza se esvai
O frio acaba e o calor retorna
O sorriso toma conta de seus lábios
E a dor superada lhe traz o aprendizado

Um dia você aprende
Que mesmo sem razão
Com toda aquela solidão
Você pode superar tudo

É triste ver o rumo que as vidas levaram
E alegre ver que todos estão bem
A Efêmera vida nos presenteia com a sábia experiência

Se tudo foi um sonho
Agradeço por ter sonhado
Se tudo depois foi um pesadelo
Continuo agradecer por ter sonhado

                                        R Cavalcante


segunda-feira, 11 de junho de 2012

Ser

Eu sou o problema
e a solução
Sou o que tenho 
e o que não quero ter
Sou a vista perfeita à distância
e o embaraçado de perto
Sou o erro, o desgosto
sou milhões em um 
e um em milhões 
Sou o alento dos fracos
e o bloqueio dos fortes
Sou a autoestima e a baixa também
Sou tudo o que querem ser
e não sou um terço do que almejo.

sexta-feira, 8 de junho de 2012

RAFs

"O Vilão" !

Isolação

Esquartejem a alma, mas não isolem um ser.
Definhem os ossos, mas não isolem um ser.
Rasguem os músculos, mas não isolem um ser.
Cubram os rios de sangue, mas não isolem um ser.
Cubram a terra de dor, mas não isolem um ser.

Todas as dores são passageiras, menos a solidão !
                                                      R Cavalcante

sábado, 19 de maio de 2012

Corpos e Almas

Entrelacem a carne
Conectem a alma
Não pense, desarme
Em branda calma

Sinta fluir
o chão desmoronar
Deixe-se cair
Não pense; aprenda confiar

Como um só
Dancem;
Levantem  pó
Olhem;

Olhem a ironia
Do seu mundo
Sem nenhuma magia
Tudo profundo

Entrelacem a carne
Conectem a alma
Não pense, desarme
Em branda calma

                       R Cavalcante

segunda-feira, 14 de maio de 2012

Mãe

Minha mamãe também merece 


Obrigado mãe ! 


Por me ensinar a dançar conforme o ritmo da vida.
Por sempre me colocar embaixo das suas asas e me proteger as vezes até demais.
Por estar ao meu lado diante de situações em que eu nunca iria conseguir enfrentar sozinho
Por brigar comigo, me bater e se estressar.
Por ter muita paciência com minhas revoltas e escutar minhas lamúrias depois de errar tanto.
Por sempre dar vida aos meus sonhos e batalhar comigo para que eles se realizassem.
Por estar presente no amor, na dor, na alegria, na doença, na riqueza e pobreza sem ao menos ter feito nenhum acordo por isso.
Por aparar as minhas asas quando sempre achei que ia conseguir o mundo.
Por me explicar que tudo tem seu tempo e o que Deus nos dá, ninguém no mundo tira!
Obrigado mãe por me educar, como amiga, confidente e guerreira.


Fliz dia das mães não só nesse dia tão especial
                                                                R Cavalcante



domingo, 13 de maio de 2012

Teatro da vida

A alma grita
O silêncio comove
O Riso falha
O Espírito dissolve

Corrente de agonia
Cercam a melancolia
Num teatro de dores
Onde não há atores

Só Corpos se movendo
Faltam-lhe expressão
Errônea falta de inserção

ESTÃO VENDO?

Suplico-lhes, NÃO, NÃO E NÃO
Não deixem isso acontecer
A magia morrer, a luz se apagar
Nem que tenha você que criar
Um palco,luz, plateias....NÃO

NÃO É O QUE EU QUERO

Não é o que eu quero;
Quero sua feição
Ódio ou paixão
Contento ou ingratidão

Me mostre do que é capaz
E lembre-se rapaz
Para isso não morrer
Precisa-se apenas Crer !

sábado, 12 de maio de 2012

Felicidade

Nunca escrevo em momentos felizes, pois eles são tão passageiros, então tento aproveitá-los ao máximo.
Mas uma felicidade contínua vem me consumindo diariamente  de forma crescente.
Cada dia que passa me sinto mais completo em absorver capacidades que eu nunca achei que iria ter e muito menos aperfeiçoar. E a cada dia que passa me sinto menos completo em saber que quanto mais me aperfeiçoo e me re-descubro, mais tenho que me dedicar e que sempre o grau de dificuldade aumenta.
Sem contar nas pessoas maravilhosas que tem aparecido e dado força na minha caminhada.
Um desabafo À Esmo hoje....
Vai me entender.



                                                                                                                                   R Cavalcante

domingo, 22 de abril de 2012

A boca tem o dom de descarregar em palavras tudo o que está guardado na alma. Quando voce encontrar uma pessoa que sempre age de forma oposta ao que fala, cuidado. Você encontrou um ser de alma vazia. 
                                                                                R Cavalcante

sábado, 7 de abril de 2012

Intrínseco


Gosto das entrelinhas
Do confuso, do surreal.
Gosto dos defeitos, de vê-los sendo moldados e corrigidos
Do pior aprendizado; Aquele vivido.
Gosto do complexo, do distorcido.
Do incompreendido, das máscaras quando caem.
Gosto da mistura de sentimentos.
E do cheiro inebriante do ar de tudo moldando um ser.

                                                                R Cavalcante

Entre prantos e alentos


De que adianta prantos
Se não há felicidade eterna
Se não há eternos encantos
Nem nas noitada na taberna

Não adianta escapar
Nem renunciar...
Devidos momentos
Sempre servirão como alentos


Primeiro o primeiro dia
Depois a semana
Evite ou viva a maresia
Escolha a sua trama


Dê o passo conforme o compasso
Não da música,

E sim da vida e do tempo escasso.

                               R Cavalcante




sexta-feira, 16 de março de 2012

Barreiras

Queira o sol apagar, a Lua cair e o mundo morrer.
Queira o vento cessar, a água evaporar.
Queira o crepúsculo esvaecer e o fogo consumir tudo.

Não ceda.


                                                            R Cavalcante

quarta-feira, 14 de março de 2012

Paralelo

Nossos olhos se cruzaram. Prendeu meu espírito no primeiro segundo, o ar parou e os risos cessaram. O mundo desapareceu e o chão tornou-se gasoso. Foquei-me naquela essência que aos poucos roubava minha sanidade, levava o restante de bom senso que me segurava por aqui nesse universo.
Deixei-me levar, flutuei parado. A única coisa que  podia ouvir era o vento me dizendo para sair dali, daquela armadilha que o destino estava me pregando....
Mas eu já estava preso naquele mundo particular criado por nós dois.

                                                                                                                                            R Cavalcante

Monocromia

E quando o sol dissipar-se no horizonte e o crepúsculo fizer seus olhos perceberem a magia de um mundo monocromático. Você então começará entender a beleza escondida nos delírios de um ser perdido em seu abismo psicológico.

                                                                                                                                             R Cavalcante

segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

Resquícios Mágicos

Quem disse que não existe magia?
Tenho certeza que as palavras são um dos últimos resquícios de magia existente, porque elas tem o dom da influência,
O dom de acabar com sua vida,
Ou aumentar a vontade de lutar pelos seus sonhos.
Pode fazer você apaixonar-se,
Ou odiar alguém com todas as forças.
Seja sábio a ponto de usar isso para seu benefício;
E mais sábio ainda a ponto de não usá-las !
O Silêncio é mais poderoso.


                                                                                                                                        R Cavalcante

segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

Viver


Nunca iremos entender
Podemos tentar compreender
Viver nessa redoma
Só nos traz a soma

A soma de um aprendizado
Fundido com nosso estado
Estado de espírito
Seria esse mais um rito?

Para que se inspirar
Se podemos decifrar
As leis da vida
Muitas vezes incompreendida

Brinque com o aquém
Vá muito mais com o além
Torne-se um só ser
Com tudo que rodeia o seu "ter"


Tudo torna se claro
Não é mais tão raro
E mais um dia vem
Proteger-se do mal Amém


                                   R Cavalcante

sexta-feira, 20 de janeiro de 2012

O Anjo e a Loba


Um menino anjo Dormia
tranquilamente no céu
Uma menina lobo corria
Na terra, na floresta, com um lindo véu

O garoto anjo acordou
Pois a garota lobo fugia
Ele logo se prontificou
A ajudá-la; pois a mesma merecia

Aquele véu era sagrado
E o anjo disso sabia
Então, do céu havia pulado
com bravura a defenderia

- Lobinha, não precisa mais temer
desses monstros vou te libertar
Eu não deveria me intrometer
Mas o monstro passado, não irá mais lhe atormentar

O anjo além de corajoso, Sabia o que fazer
A menina lobo alegre ficou
Sabe o que ele fez sorrindo ?
O passado,seu monstro, com uma linda oração espantou


                                                              R Cavalcante

quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

A Estrela

Essa estrela é especial
Ninguém pode entender
Ela tem um brilho fatal
Cegado você pode ser

A estrela nasce a cada mil anos
É Raro alguém dela falar
Poucos tem como plano
Ela tentar encontrar

Ontem ela apareceu
E rapidamente pude vê-la
Foi logo quando anoiteceu
E eu queria tê-la.

Mas isso é impossível
Por que mágica ela é
Ilumina de forma invisível
todo o humano que tem muita fé

Ontem Você pôde sentir
Algo estranho com seu corpo acontecer?
Comecei a sorrir
Ao seu encanto tive que me submeter

Mas logo ela apagou
E sua magia foi embora
Na raça humana poucos encantou
Pois ainda não é a hora.

Fim

No cair do fim
mais uma vez
Mil problemas de uma vez
Fugirei Sim

Quem quer gritar
Desesperadamente
Não consegue pensar
Morre desprezivelmente

Tudo tem começo
Meio
sem apreço
tem-se um devaneio

o Fim

Com o fim de duas vidas
fundidas em uma
tem-se feridas
separadas em nenhuma

não entenda...
...
não compreenda...
...
...Sinta....
                                R Cavalcante